Projeto de Lei, que obriga a contratação de Seguros para Eventos, ganha cada vez mais força na Câmara

O projeto de lei complementar em epígrafe, de autoria do Deputado Lucas Vergílio, propõe nova redação ao art. 20 do Decreto-Lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, (que dispõe sobre o Sistema Nacional de Seguros Privados, regula as operações de seguros e resseguros e dá outras providências) para instituir o seguro obrigatório de responsabilidade civil das empresas, dos proprietários e dos promotores ou organizadores de eventos artísticos, recreativos, culturais, esportivos e similares, por riscos ou acidentes que possam ocorrer com a realização dos eventos por eles promovidos, e dá outras providências.

Em sua justificação, o autor afirma que “o projeto tem o sublime objetivo de tentar resguardar a vida e a integridade física das pessoas que frequentam, para o próprio lazer, os estabelecimentos e/ou locais de eventos artísticos, recreativos, culturais, esportivos e similares”. 2

O autor argumenta ainda que “a fragmentação do processo decisivo (um concede o alvará, mas não fiscaliza as condições do local de construção da atividade, outro concede o habite-se, sem saber para qual atividade), a falência do controle (descumprimento das regras de construir), a ineficiência do processo de aprovação de projetos (corrupção, morosidade, etc.) são apenas algumas vertentes que podem culminar com tragédias como a ocorrida em Santa Maria. Assim, medidas como essas que estamos apresentando neste projeto de lei, reforça, sobretudo, a determinação de que nos locais sujeitos às normas especiais municipais, o alvará de funcionamento expedido pelo Poder Público Municipal, ou ato administrativo equivalente, deve ficar condicionado, obrigatoriamente, à contratação de seguro de responsabilidade civil para a cobertura de indenizações que o proprietário do estabelecimento venha a ser obrigado a pagar em razão de danos provocados por incêndios e desastres”.

 

Acesse o conteúdo completo:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1594789&filename=Tramitacao-PLP+1/2015

 

Fique de olho! Sinistro em evento na Argentina.

Até quando veremos situações como esta?

Havia “550 mil pessoas” em um espaço com capacidade para 200 mil. Além disso, não houve limite na venda de ingressos.

 

Confusão durante show termina com 2 mortos na Argentina

Vítimas foram pisoteadas durante show do cantor Indio Solari em Olavarría; Público era de 550 mil pessoas, de acordo com o jornal ‘La Nación’.

Duas pessoas morreram pisoteadas na madrugada deste domingo (12) durante um show do cantor Indio Solari, na cidade argentina de Olavarría. O local estava superlotado, de acordo com a fiscal da cidade.

O subsecretário de Saúde da cidade da província de Buenos Aires, Germán Maroni, confirmou a morte de dois homens, um por politraumatismos e outro por uma parada cardiorrespiratória. Um deles, com 41 anos, se chama Javier León e mora nas Malvinas. O outro não pode ser identificado por não estar com os documentos.

Em entrevista ao “La Nación”, a promotora de Olavarría Susana Alonso disse que uma mulher está internada na UTI. Ela disse que a capacidade do espaço “estava superada”.

Alonso estimou que, de acordo com as imagens feitas por drones e pela opinião dos peritos, havia “550 mil pessoas” em um espaço com capacidade para 200 mil. Além disso, ela disse que não houve limite na venda de ingressos.

“Algumas pessoas saíram depois da primeira música porque estava impraticável, porque havia muita gente”, disse. “Houve venda de ingressos sem limite, e também há gente que entrou sem os mesmos”, afirmou Susana Alonso em declarações ao canal de televisão “Todo Noticias”.

Fique de Olho: Sinistro em Set de Filmagem

The Crow

Accidents That Occurred During Film Shooting

Uma das cenas rodadas para o filme precisava que uma arma fosse carregada, engatilhada e apontada para a câmera mas, por causa da curta distância do take, a munição carregada era de verdade mas sem pólvora.

Após a realização desta cena, o assistente do armeiro limpou a arma para retirar as cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A cena seguinte a ser filmada, envolvendo aquela arma, era o estupro de Shelly, sendo que a arma foi carregada com festim (que normalmente tem duas ou três vezes mais pólvora do que um projétil normal, para fazer um barulho alto). Lee entrou no set carregando uma sacola de supermercado contendo um saco de sangue explosivo. No roteiro constava que Funboy deveria atirar em Eric Draven quando ele entrasse na sala, estourando o saco de sangue. O projétil que estava preso no cano foi disparado em Lee através da sacola que ele carregava, ele morreu.

E quem pagará o preço da irresponsabilidade?

Você concorda que além da Liga das Escolas de Samba, cada Escola deveria ter seu próprio seguro tanto de Responsabilidade Civil como de Cancelamento de Eventos?

Quantos acidentes!

Um ano atípico, porém esperamos que sirva de exemplo para mostrarmos ao mercado a importância do Seguro para Eventos.

Cinco das 32 vítimas de acidentes na Sapucaí seguem internadas, diz Secretaria de Saúde

Veja notícia completa no link abaixo:

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/carnaval/2017/noticia/quatro-das-32-vitimas-de-acidentes-na-sapucai-seguem-internadas-diz-secretaria-de-saude.ghtml

Por dentro do mercado de Eventos em 2017

Olá pessoal, boa tarde!

Gostaria de compartilhar com vocês a previsão do mercado de eventos para 2017, de acordo com o relatório produzido pelo OTE (Observatório de Turismo e Eventos).

Boas perspectivas para 2017!! Boa leitura!

O setor de eventos na capital paulista é uma das principais molas propulsoras do segmento local de viagens e turismo. Segundo estudo da União Brasileira dos Promotores de Feiras (UBRAFE)/ Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), realizado em 2013, o setor de feiras de negócios chega a movimentar mais de R$ 16 bilhões por ano na cidade, incluindo toda a cadeia produtiva do segmento.

Eventos realizados em 2016 somados aos confirmados até 2020 podem representar uma movimentação de mais de R$ 150 milhões em receitas para a cidade, além de um fluxo de 214 mil participantes atraídos pelos próximos quatro anos. A pesquisa, realizada pelo São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), analisou o impacto gerado pelos eventos captados no turismo da cidade no período.

Com eventos internacionais, visitantes de outros Estados e países devem gerar uma receita de R$ 64 milhões. Em eventos nacionais, os turistas devem impactar em R$ 88 milhões. Juntos, somam uma arrecadação de R$ 7,6 milhões em Imposto Sobre Serviço (ISS) em hospedagem, sem contar outros serviços incluídos no código de arrecadação de viagens, eventos e turismo, como organização de eventos e serviços de buffet.

Shows musicais também contribuíram para o movimento de turistas em São Paulo. De acordo com a Pesquisa de Demanda Turística Doméstica e Internacional de São Paulo, realizada pelo OTE em 2015, cerca de 3,9% dos turistas que visitam o município estão na cidade motivados por shows musicais e espetáculos. Um estudo sobre o mercado de shows no Brasil, realizada pela Eventbrite em outubro de 2016, mostra que alguns segmentos dessa indústria foram afetados pela forte crise. Entretanto, a pesquisa aponta que as pessoas querem ir mais a eventos relacionados à música: 90% dos entrevistados afirmou que pretende aumentar ou manter a frequência em eventos desse tipo nos próximos 12 meses. Os dados da pesquisa também mostram que o brasileiro frequentou em média quatro shows em 2016 e a expectativa é que esse número cresça em 2017.

Clique aqui para consultar ou fazer o download do relatório completo.
VIAGENS, TURISMO E EVENTOS NA CIDADE DE SÃO PAULO EM 2016 E TENDÊNCIAS PARA 2017 
(650 KB)

Descubra as coberturas que agravam o Seguro para Eventos e as coberturas mais contratadas neste segmento

Olá pessoal, boa tarde!

Recebemos nossa primeira dúvida, da nossa leitora Clara (corretora não informada).

Ela nos pergunta quais são as coberturas que mais agravam o Seguro para Eventos e quais são as coberturas mais contratadas neste segmento.

Vamos lá!

Primeiro, é importante ressaltarmos que o cálculo atuarial dependerá muito de seguradora para seguradora, além do histórico de sinistralidade de cada Companhia.

Obviamente estes dois itens são fatores essenciais para a base de qualquer seguro.

Além disto, é importante lembrarmos também que de acordo com o histórico do mercado nesta modalidade, o Seguro para Eventos possui muito mais um histórico de sinistralidade voltado à severidade do que frequência .

Ou seja, verificamos que o aumento da sinistralidade se dá quando acontecem acidentes graves, fatalidades como a queda de um camarote, por exemplo, onde várias pessoas se machuquem ao mesmo tempo.

A experiência que temos nos últimos 15 anos não nos mostra frequência de sinistro na modalidade de eventos, porém é muito importante lembrarmos que em eventos de grande porte, como festivais e shows com grande acúmulo de pessoas, podemos sim ter uma certa frequência de sinistros. Exemplos: pequenas quedas onde podem gerar dano corporal, ou até mesmo o roubo de celulares do público presente, porém, roubo de celulares, principalmente quando se tratam de furto simples, geralmente não possuem cobertura securitária nas apólices, mas é um item que gera muitas dúvidas entre os segurados e corretores.

Outros fatores importantes para se determinar as taxas são: tipo de evento, local onde o evento será realizado, quantidade de dias e principalmente a expectativa de público esperada no evento, além claro, das condições (coberturas e limites) determinados.

Importante também ressaltarmos que quando mencionamos Seguro para Eventos, podemos oferecer três tipos de seguros: Seguro de Responsabilidade Civil, Seguro de Riscos Diversos e Seguro de Acidentes Pessoais.

Vamos falar de cada um deles.

Levando em consideração todos os aspectos mencionados acima,de acordo com o histórico de sinistralidade do mercado, as coberturas que mais agravam o Seguro de Responsabilidade são: Instalação e Montagem, com suas coberturas adicionais de RC Cruzada e Erro de Projeto, além da cobertura de RC Imóveis e RC Garagista.

Com relação ao Seguro de Riscos Diversos, as coberturas mais agravadas são: Cancelamento, Adiamento e Interrupção de Eventos e RD Roubo de Bilheteria e Roubo em Mãos de Portadores.

Já no Seguro de Acidentes Pessoais, o custo mais agravado está quando contratada cobertura para o público, além da cobertura para staff.

Agora vamos a questão das coberturas mais contratadas em cada modalidade.

No seguro de Responsabilidade Civil Eventos, as coberturas mais contratadas são:

RC Eventos;

Instalação e Montagem, RC Cruzada e Erro de Projeto;

Empregador,

Imóveis e

Danos Morais

No seguro de Riscos Diversos, as coberturas mais contratadas são:

Equipamentos Diversos para a realização do evento e

Equipamentos em Exposição

No seguro de Acidentes Pessoais, o seguro mais contratado está voltado ao staff da produção.

Muito importante mencionar que cada evento possui sua particularidade e que não podemos focar apenas nas coberturas mais contratadas.

Aconselhamos sempre o segurado a nos encaminhar informações suficientes do evento, para que assim, os corretores tenham a tranquilidade para oferecer as coberturas e limites adequados para cada risco, afinal, não queremos contar com a sorte ou sermos vítimas da Lei de Murphy, não é mesmo?!

Entretenimento Seguro

Entretenimento Seguro

Olá, sejam todos bem-vindos ao primeiro Blog do Brasil sobre Seguro para Eventos e Filmagens: o Blog “Entretenimento Seguro”.

Este blog tem o intuito de trocarmos experiências, tirarmos dúvidas e principalmente ajudarmos ainda mais na profissionalização do mercado de seguros para entretenimento através da experiência de 13 anos da consultora Juliana Sabrina dos Santos no segmento.